Avalanche (AVAX): o que é, como funciona e revisão do ecossistema

Informação básica

Os dados abaixo não se referem à blockchain atual.

Top Dapps

# Dapp Categoria Blockchain
1 1 InsurAce Utilities BNB Ethereum Avalanche +1 Polygon 251.82K 624.02K $93.27M $292.00
2 2 Uniswap DEX BNB Ethereum Arbitrum +4 Celo Avalanche Polygon Optimism 78.84K 226.85K $3.93B $4.73B
3 3 1inch DEX +1 Liquidity BNB Ethereum Gnosis +6 Fantom Arbitrum Avalanche Polygon Optimism ZkSync 22.12K 42.95K $8.15K $550.66M
4 4 0x Protocol DEX +3 Liquidity Derivatives Yield Farming BNB Ethereum Fantom +9 Arbitrum Celo Avalanche Polygon Optimism Aurora Solana Near Polkadot 11.93K 20.76K $20.95M $87.33M
5 5 Stargate Finance Liquidity +1 Utilities BNB Ethereum Fantom +5 Arbitrum Avalanche Polygon Optimism Metis Andromeda 10.25K 15.18K $49.87M $13.28M
6 6 Paraswap DEX BNB Ethereum Fantom +4 Arbitrum Avalanche Polygon Optimism 3.5K 7.66K $920.00K $138.70M
7 7 Sushi DEX BNB Ethereum OKC +18 Gnosis Fantom Arbitrum Celo Avalanche Harmony Polygon Optimism Telos Fuse HECO Boba Metis Andromeda Moonbeam Moonriver Palm Polkadot Kusama 3.64K 7.28K $306.07M $29.35M
8 8 Balancer DEX +1 Liquidity Ethereum Gnosis Arbitrum +3 Avalanche Polygon Optimism 1.74K 4.99K $627.84M $2.09B
9 9 Synapse DEX +1 Utilities BNB Ethereum Fantom +12 Arbitrum Avalanche Harmony Polygon Optimism Boba Metis Andromeda Moonbeam Moonriver Klaytn Aurora Cronos 80 3.63K $8.62M $6.37M
10 10 Wormhole Utilities BNB Ethereum Fantom +14 Arbitrum Celo Avalanche Polygon Optimism Moonbeam Klaytn Aurora Solana Near Terra Classic Oasis Acala Karura 1.96K 3.4K $935.77M $37.99M

O que é o Avalanche?

Avalanche é uma plataforma de código aberto para o lançamento de dApps, criptomoedas e implantação de outras blockchains, tudo combinado em um ecossistema altamente escalável. A rede possui “finalidade de transação quase instantânea” e suporta todos os projetos desenvolvidos para Ethereum. A plataforma visa resolver problemas de escalabilidade, altos custos de gas e questões de interoperabilidade enfrentadas por diversos protocolos em várias áreas cripto.

A blockchain utiliza Máquinas Virtuais (VM), o que permite que os desenvolvedores omitam processos de “lógica de baixo nível” como rede, além de evitar o protocolo de consenso ou a estrutura geral da blockchain. Esses processos são gerenciados pelo Avalanche para reduzir a carga de trabalho dos criadores de dApps.

A rede é composta por três blockchains integradas que dividem a carga da rede como um todo. Graças a essa abordagem, a plataforma melhora a velocidade e escalabilidade em comparação com a execução de todos os processos em uma única cadeia. O projeto emprega um protocolo de consenso único, projetado para atender às necessidades de suas respectivas blockchains.

Como o Avalanche funciona?

Uma das características-chave do Avalanche, que ajuda a alcançar seu alto rendimento de 4.500 transações por segundo, é o seu método de armazenamento de dados da blockchain. A mecânica em uso utiliza DAGs ou Grafos Acíclicos Dirigidos - um sistema comum de armazenamento de dados em ciência da computação, frequentemente usado em inteligência artificial. O outro conceito-chave em uso são os chamados vértices - que podem ser vistos como blocos de dados contendo os hashes de seus blocos pais, bem como uma lista de transações em que os nós podem votar em lotes. Uma característica importante dos vértices do Avalanche é que eles podem ter múltiplos pais, diferentemente de Bitcoin e Ethereum, por exemplo, onde blocos de dados podem ter apenas um pai e um filho.

Provavelmente o componente mais importante do consenso do Avalanche é o algoritmo Snowball. Ele é composto por quatro parâmetros, que são o número de participantes no processo de validação, o tamanho da amostra (o número de validadores amostrados durante cada pesquisa de rede), o tamanho do quórum (o número de validadores que devem concordar com o status de uma transação durante cada pesquisa de rede) e o limite de decisão, esse número representa o número de vezes que a rede precisa obter as mesmas respostas consecutivas dos nós, concordando com a validade de uma transação (ou não), para completá-la.

O modo como o algoritmo funciona começa com os nós inicialmente criando uma preferência sobre a validade de um DAG e o algoritmo consulta 20 nós (o tamanho da amostra). Se o tamanho do quórum de 14 ou mais nós fornecer a mesma resposta, ela é adotada como a nova preferência. A votação é então repetida 20 vezes (limite de decisão). E o fato de esses parâmetros (tamanho da amostra, limite de decisão, tamanho do quórum) serem constantes, independentemente de quantos participantes existem na rede, confere ao Avalanche a capacidade de escalar e processar transações em segundos, o que é chamado de subamostragem.

Ao votar no estado da rede, o voto dos nós do Avalanche em vértices conta para todas as transações dentro deles; o voto também conta para todos os vértices anteriores e as transações contidas neles devido à conexão pai-filho entre eles. O fato de um voto para um vértice ser muitos votos em um e cada voto ser aplicado de forma transitiva para cima dá nome a outra característica do Avalanche, que é chamada de votação transitiva e é dito ajudar no rendimento de transações da rede.

As otimizações do Avalanche também incluem os nós não terem que esperar por todos os participantes da rede para emitir seus votos, já que, se uma pesquisa atinge a maioria, ou não pode alcançá-la, a votação termina.

As três blockchains integradas na rede são chamadas de Exchange Chain (X-Chain), Platform Chain (P-Chain) e Contract Chain (C-Chain). Elas são validadas e protegidas pela Rede Primária. A P-Chain também pode ser usada para a criação de sub-redes personalizadas, desde que o usuário tenha apostado pelo menos 2.000 tokens AVAX e seja membro dela.

As sub-redes são um conjunto dinâmico de validadores que trabalham juntos para alcançar o consenso sobre o estado de um conjunto de blockchains. Através da arquitetura do protocolo Avalanche, sub-redes podem solicitar que validadores atendam a certos requisitos, como localização geográfica, verificações de KYC, detenção de determinadas licenças, requisitos mínimos de hardware ou qualquer outra coisa que decidam.

Uma das blockchains integradas é a Exchange Chain ou X-Chain, que é usada para a criação e troca de ativos digitais. A rede representa uma plataforma de recursos do mundo real com um conjunto de regras que governam seu comportamento. Todas as transações ocorridas na rede estão sujeitas a taxas denominadas no token nativo da plataforma – AVAX.

O X-Chain utiliza o protocolo de consenso Avalanche, que consiste em ter todos os nós da rede processando e validando transações paralelamente uns aos outros através de votações em sub-amostras repetidas. Este método não cria blocos como em blockchains tradicionais, e em vez disso utiliza as chamadas "transações com pais". Por causa disso, todas as transações na rede são finalizadas imediatamente, sem necessidade de outras confirmações. O protocolo de consenso Avalanche contribui para o desempenho e a descentralização, já que facilita a execução de um nó validador e a validação de transações graças aos requisitos de hardware baixos.

Outra das três blockchains integradas à rede Avalanche é a Contract Chain ou C-Chain. Ela é utilizada por desenvolvedores na criação e uso de contratos inteligentes e dApps. Além do Avalanche VM, essa cadeia tem uma implementação da Máquina Virtual Ethereum (EVM), permitindo que os desenvolvedores implantem dApps compatíveis com EVM. 

A C-Chain emprega uma versão modificada do protocolo de consenso Avalanche, chamada "Snowman". Algumas das diferenças na mecânica dele em relação ao outro método de consenso empregado pelo Avalanche são o ordenamento linear de transações, o que é especialmente útil ao lidar com contratos inteligentes, e a criação de blocos pelo processo de validação. O protocolo Snowman é desenvolvido por uma equipe de cientistas da computação de Cornell e é capaz de confirmar transações permanentemente em menos de um segundo, com uma escala de 4.500 TPS.

A última das três blockchains integradas que compõem a rede Avalanche é a Platform Chain ou P-Chain. Esta cadeia é a blockchain de metadados, que coordena os validadores e mantém o controle de sub-redes ativas. A P-Chain permite que desenvolvedores criem novas sub-redes e as complementem com validadores. A P-Chain também implementa o protocolo de consenso Snowman, já que sua natureza linear facilita o rastreamento dos validadores pela rede, bem como a inclusão e exclusão deles de sub-redes, se necessário.

Como usar o Avalanche?

O Avalanche pode ser usado na criação e desenvolvimento de dApps, ativos financeiros e redes blockchain; ele também é otimizado tanto para redes em escala empresarial quanto para redes públicas, que suportam conjuntos personalizados de regras. A plataforma implementou uma EVM para fornecer um ambiente altamente flexível e escalável para desenvolvedores. O protocolo suporta negociações e possui seu próprio token de governança, usado também como o principal método de pagamento para as taxas do Avalanche. Existe uma carteira oficial do Avalanche que pode ser facilmente criada e usada para armazenar moedas e ativos AVAX, fornecendo total custódia sobre os fundos dos usuários.

Além de usar a rede Avalanche para a criação de dApps e blockchains, os usuários também podem criar tokens ERC-20 e cunhá-los para qualquer endereço. Os tokens são acessíveis através da C-Chain e exigem contratos inteligentes implantáveis em Solidity.

Staking no Avalanche

Programas de staking do Avalanche AVAX estão disponíveis para detentores do token e podem ser usados para ganhar recompensas, como até 11% de APY pela validação ou delegação do poder de validação para outros validadores na cadeia. Para participar do processo de validação, os usuários precisam ter pelo menos 2.000 tokens AVAX em stake. Todos os validadores podem definir suas próprias taxas para aceitar delegações para o seu nó. Atualmente, não há penalidades para tokens em stake na plataforma, e os requisitos de hardware para rodar um nó são anunciados pela empresa como os “requisitos de hardware mais leves de qualquer blockchain”.

O token AVAX 

O token AVAX é utilizado para garantir a segurança da rede através de staking e execução de nós validadores ou delegação de poder de validação para outros nós. Seu fornecimento máximo é de 720 milhões de tokens, divididos em dois lotes - o bloco de gênese, que contém metade dos tokens, e a outra metade - planejada para ser cunhada ao longo do tempo. Todas as taxas pagas em AVAX são queimadas para aumentar a escassez da oferta do token. 

Os tokens AVAX também podem ser alavancados e usados como uma unidade básica de conta entre as múltiplas blockchains; eles também são necessários na criação de blockchains, bem como para a cunhagem e negociação de tokens. Através do token, os usuários também podem interagir com contratos inteligentes. 

A forma como a política monetária do AVAX é estruturada visa equilibrar os incentivos do usuário final através do staking do token e seu uso para interagir com os serviços fornecidos pela plataforma. Por meio desse sistema, os participantes do projeto atuam como um banco de reserva descentralizado.

As taxas de recompensa para incentivos lastreados em AVAX diminuirão ao longo do tempo à medida que se aproxima do fornecimento máximo, e a taxa de cunhagem é projetada para reagir a condições econômicas variáveis. Todas as taxas podem ser alteradas pelos detentores de tokens através da governança comunitária. 

O Avalanche é seguro?

O Avalanche foi lançado em setembro de 2020, por uma empresa chamada Ava Labs nos EUA. A equipe levantou US$ 6 milhões em uma rodada de financiamento, seguida por vendas de tokens privadas e públicas que totalizaram mais de US$ 45 milhões. A Ava Labs é liderada por Emin Gün Sirer, que além de ser professor associado de ciência da computação na Universidade de Cornell, é amplamente reconhecido no campo científico por suas contribuições para sistemas peer-to-peer, sistemas operacionais e redes de computadores. Ele desenvolveu o protocolo Avalanche e seu modelo de consenso único inicialmente na Universidade de Cornell, com a assistência de Maofan Yin e Kevin Sekniqi

A equipe atual da Ava Labs é composta por especialistas em ciência da computação, economia, finanças e direito. A empresa tem dois escritórios – em Nova York e Miami. A equipe do Avalanche tem experiência coletiva que vai desde empresas de finanças e tecnologia da Fortune 500 até plataformas blockchain em rápido crescimento. 

Atualmente, não há hacks do Avalanche confirmados, mas ocorreram vários exploits na rede. Deve-se notar que, até agora, eles não foram vinculados a problemas de segurança referentes ao Avalanche. 

O protocolo Avalanche foi auditado pela Halborn em setembro de 2020 e junho de 2021.

Ecossistema & Parceiros 

O ecossistema do Avalanche consiste em cerca de 400 projetos, e os principais investidores na plataforma incluem a Polychain e a Three Arrows Capital. No final de 2021, a Fundação Avalanche iniciou um programa com o objetivo de acelerar o desenvolvimento, crescimento e inovação em toda a rede, através de um fundo no valor de mais de $200 milhões. O programa é chamado de “Blizzard” e é o segundo incentivo desse tipo lançado na rede, seguindo o fundo de $180 milhões alocados a um programa chamado “Rush”, que distribuiu ativos entre os usuários que forneceram liquidez em algumas pools. Até agora, mais de 10 projetos se beneficiaram do programa de financiamento.

Mais tarde, na primavera de 2022, a Fundação Avalanche apresentou o Avalanche Multiverse, um programa de incentivo de $290 milhões projetado para promover a adoção e expansão de sua funcionalidade única de "sub-redes". Esta funcionalidade permite a criação de redes blockchain escaláveis personalizadas para aplicações específicas. O programa tem como objetivo apoiar vários ecossistemas, como jogos baseados em blockchain, finanças descentralizadas (DeFi), tokens não-fungíveis (NFTs) e casos de uso institucionais. 

O que vem a seguir?

Embora no momento não exista um roadmap público do Avalanche, há algumas informações circulando online sobre o que será o roadmap do Avalanche para 2023.

    1. Lançamento de um Recurso de Implantação de Sub-redes: Capacitando indivíduos a criar e lançar suas próprias sub-redes no Avalanche de forma fácil.
    2. Atualização Red Snow: Revelando uma série de novos recursos e melhorias por meio dessa atualização tão aguardada.
    3. Interconexão: Introdução de pontes adicionais e contratos entre cadeias para estabelecer conexões perfeitas com outras redes blockchain.
    4. Diversos dApps e Plataformas: Lançando uma infinidade de dApps e plataformas inovadoras no Avalanche, abrangendo áreas como jogos, NFTs, redes sociais e mais.
    5. Expansão da Comunidade de Desenvolvedores: Enriquecendo a comunidade de desenvolvedores ao fornecer apoio por meio de subsídios, hackathons, workshops e outras iniciativas.
    6. Adoção e Conscientização Global: Ampliando a adoção global e aumentando a conscientização por meio de parcerias estratégicas, campanhas de marketing impactantes, empreendimentos educacionais e esforços semelhantes.

O Avalanche também está trabalhando na redução do tamanho da blockchain, pois, se ela se tornar muito grande no futuro, será difícil para mais do que alguns nós validadores armazenar todo o seu histórico de transações, o que pode comprometer a descentralização do protocolo e se tornar uma ameaça à segurança. 

https://www.avax.network/

https://www.avalabs.org/

Autor:

Paulo Alves

Paulo Alves

Última atualização: Eos 22, 2023

Últimas notícias

Tutoriais em vídeo